RIR, RIR MAIS E RIR DE NOVO.

Please, Bloguinho, não reclame a falta do numerozinho ali no título. Resolvi seguir o conselho da minha médica e pesar só uma vez por semana. Será na quarta-feira. Pesar todo dia estava criando certo stress em minha zen pessoa. E eu evito o máximo de stress que é humanamente possível.
Bem, mas hoje preciso te contar uma coisa muito engraçada, que aconteceu na quarta-feira. Sou monitora no curso de Letras da Universidade Metodista-EaD. A sala de aula é bem ampla. A tela para a transmissão direto de São Paulo fica na altura de minha cabeça, mais ou menos. No canto, a mesa dos monitores, com o computador que usamos para participar do chat durante a aula, enviar as dúvidas dos alunos, enfim, fazer a ponte da turma com os professores em São Paulo. Faltavam cerca de dez minutos para o final da aula. Doida para ir embora, resolvi levar logo a chave do cadeado da sala para a secretaria. A aula estava bem interessante, e os alunos com os olhos pregados na tela. Meu sapato tinha o bico fino e a calça, a boca larga.
Fui passando na frente do pessoal, discreta para não chamar a atenção e… quando vi, estava deitada de barriga no chão. Acho que o bico do sapato prendeu na barra da calça. Pelo menos, é o que eu acho. Não vi nada. Os alunos TODOS me cercavam, senti uma dor imensa nos joelhos e pensei duas coisas. A primeira foi: Ainda bem que não foi a Clarice que levou esse tombo (ela sofre com um problema bem complicado nos joelhos e sente bastante dor). Coisa esquisita para se pensar enquanto está deitada no chão, com alunos à sua volta e a chave da sala agarrada na mão.
Mas meu segundo pensamento é que tem a ver com você, Bloguinho. Foi: Se fosse há seis meses, eu não sei como teria me levantado. Juro! No final do ano passado eu não conseguia me levantar quando sentava no chão. Tinha que ficar agachada, e alguém precisava me puxar. Ah, mas agora, que sucesso. Apoiei a mão dolorida no chão e me levantei sozinha!!!!! Ainda não é a agilidade máxima (na verdade, não sou de natureza ágil), mas eu me senti tão feliz por me levantar sem precisar de um guindaste!
Essa é uma daquelas coisas que gente que sempre foi magra não entende, e quem sempre foi gordo também não entende. Você precisa conhecer os dois lados para se dar conta do que é não poder se levantar sem alguém te puxar.
Enfim, amanhã será minha cirurgia. Provavelmente desaparecerei por alguns dias, não sei prever quantos. Ah, mas a gente volta a se encontrar logo, Bloguinho. Não fique triste com a separação, saiba que eu estou muito feliz.

82,4 – CABELO

Coisa boa é cuidar de cabelo. Pelo menos, eu acho. Daquelas porcarias que citei em outra postagem, grande parte se destina aos fios louros.
Eu queria entender por que a resistência a deixar os danadinhos brancos mesmos, como faziam as mulheres de antigamente. Outro dia, na academia, vi uma mulher muito bonita. Ela nada, tem um bronzeado muito belo. Deve ser uns dez anos mais velha do que eu. O cabelo, muito bem cortado bem curtinho, é quase todo branco. Tão bonita! Linda, mas Deus me livre. Não quero saber de cabelo branco de jeito nenhum.
E o corte? Só uma cabelereira encosta a tesoura em minhas madeixas. Ela faz mágica. Posso chegar ao salão me sentindo um lixo. Enquanto corta o cabelo, ela vai levantando minha moral:
– Seu cabelo é maravilhoso! Ah, se toda cliente tivesse o cabelo assim!
E chama as outras pessoas do salão para me contemplarem. Corta o cabelo e massageia meu ego. Vale por umas três caixas de antidepressivo.
No meio das porcarias, eu tenho hidratante noturno, hidratante ativado pelo calor do secador, creme para usar ao sol, tinta, uns três ou quatro tipos diferentes de shampoo e condicionador… Ai, que delícia!
Marquei a cirurgia para sábado. Depois, um bom tempo sem poder levantar os braços. Que tragédia! Não gosto de lavar a cabeça só no salão, e como lavar e não secar direitinho? Haha, tenho um esquema (você nem imaginava, né, Bloguinho?)!
Amanhã vou fazer ESCOVA DE VELUDO! Já ouviu falar? Não?!?!?!?!?!?!? É uma maravilha. O cabelo fica sedoso, viradinho pra dentro como gosto, brilhante, tudo de bom. Basta lavar e deixar secar. Melhor que escova progressiva e muito. Ainda mais que não tem aquele negócio de ficar três dias sem lavar.
Ih, vou parar aqui!!!!! Tinha esquecido que tenho que pintar o cabelo hoje: amanhã tem a escova de veludo e depois de amanhã a cirurgia. Tem que ser hoje. Bye, Bloguinho, vou cuidar do cabelo. Isso também faz parte da boa forma, viu? Ninguém quer ver mulher desleixada.