82,4 – A CAIXA DE BOMBONS

Houve tempo em que eu era capaz de devorar meia caixa de bombons Garoto. Só faltava comer a caixa propriamente dita. Mas, o conteúdo, lá ia todo goela abaixo, e depois se aninhava em volta de mim, criando uma generosa camada de gordura.
Luto contra meu peso desde sempre. Nunca fui, nunca serei magra. Tenho pernas grossas, quadris largos. E posso ser bem bonita, se cuidar de mim mesma. O processo, antes da depressão, era sempre o mesmo. Meu peso variava entre 64 e 66kg. Eu relaxava um pouquinho, chegava perto dos 70kg e dava um jeito de emagrecer de novo. Cada ciclo durava 3 ou 4 anos, não tenho muita certeza, mas não era muito rápido, não. Com isso, aprendi a cuidar muito bem da alimentação, a vigiar tudo que como. Após muita briga, deixei de sentir vontade de comer chocolate. Isso é um verdadeiro nirvana: olhar uma vitrine repleta dos melhores chocolates do mundo e não sentir vontade de comer.
Mas não foi sempre assim. Lembro de uma vez, quando estava no Vigilantes do Peso. Sérgio tinha comprado uma caixa de bombons Lacta. Colocou no armário dele, porque se deixasse na cozinha os filhos acabariam com tudo. A caixa foi crescendo. Tomou conta do quarto todo. Eu queria que alguém chegasse para me distrair, mas não adiantava. Só existia a caixa azul cheia de desenhos coloridos. De repente, ela começou a gritar meu nome. Desesperada, peguei e comi TUDO. Isso mesmo. Comi tudo. Não lembro de ter repetido a mesma coisa em outra ocasião. Foi a última vez. Daquele dia em diante, fui esquecendo o chocolate. Só voltei a lembrar dele quando estava em depressão. E foi como alcoólatra com a primeira gota do álcool. Comi o primeiro e não parei mais.
No caminho que iniciei neste ano, venci de novo a vontade de comer chocolate. Ontem, especialmente, fiquei super-feliz. No domingo, Dani foi ao mercado depois do almoço. Flávia pediu para ela comprar shampoo e desodorante, eu pedi shampoo. Sérgio pediu uma caixa de bombons. Ela trouxe da azul, igualzinha à que cresceu. Mas a de domingo não tinha poderes. Eu a abri à noite, restavam 2 Sonhos de Valsa e mais uns 3 ou 4 bombons. Não senti vontade de comer. Ontem à noite, sozinha em casa, pensei:
– Fiz tudo tão certinho hoje, vou comer bombom.
Só que estava vendo Mr. Bean e fazendo tricô. Simplesmente esqueci do chocolate. Estava me divertindo o suficiente. Mais tarde, lembrei de novo dos inimigos à espreita, decidi comer um, mas me distraí de novo e esqueci.
Esse é o tipo de experiência que considero maravilhosa. Não precisei lutar contra a vontade de comer chocolate. Eu perdi a vontade. Não quis. Tinha coisa melhor a fazer. Essa é a vitória que desejo: não ter vontade de comer o que não é bom para mim e querer os alimentos que me fazem bem. A verdadeira mudança é a mudança na vontade. O comportamento ninguém consegue controlar o tempo todo…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s