82,8 – AUTO-ESTIMA OU ESTIMA EM ALTA?

Estava na academia, na esteira, quando vi a Cida, que viajou no mesmo grupo que eu para Israel e com quem não me encontrava já há algum tempo. Eu vario muito meu horário na academia, de modo que passo até meses sem me encontrar com quem vai sempre num horário marcado, como a Cida. Ela veio conversar comigo. Nem tinha chegado na esteira e já perguntou:
– Você emagreceu bastante, não foi?
Claro que abri o maior sorriso e contei dos 7kg que já mandei pro lixo. Ela se alegrou comigo, conversamos um pouquinho e ela foi embora. E eu me lembrei de um outro encontro, que aconteceu há algum tempo.
Eu malhava em uma outra academia, e, como já comentei antes, sempre converso com os outros frequentadores da academia. Conheci uma mulher da minha idade, que se casou uma semana antes de mim e tinha uma filha da idade do meu filho. Conversávamos bastante em nossos longos 30 minutos diários na esteira. Precisei parar de malhar por causa de um problema complicado no ombro. Fiquei cerca de um ano impossibilitada de mexer meu braço direito. Sentia dores horríveis. O fisioterapeuta me falou para não usar bolsa, numa tentativa de preservar meu ombro. Eu não podia pegar qualquer tipo de peso. Precisava de ajuda para me vestir. Não conseguia abotoar o sutiã. Pensa numa pessoa que se sentia um lixo.
Certo dia, voltando da universidade, decidi fazer uma parada em uma livraria para comprar uns livros de que precisava. Claro que eu tinha engordado um pouco e estava me sentindo péssima: desarrumada, sem bolsa, maquiagem nem pensar… Decidi tomar um sorvete Hagen-Dazz (é assim que escreve?) e sentei com um copo de todo tamanho em um banquinho. Estava ali, horrorosa, gorda (pelo menos era o que eu achava) e, ainda por cima, consumindo umas duas mil calorias, quando vi minha ex-colega de academia. Poderosa, super bem vestida, magra, de salto alto, entrando em uma loja para comprar bijuteria. Se houvesse um buraco no chão, tenho certeza de que teria entrado nele.
Na verdade, acho que já estava num buraco. Auto-estima = zero! Não havia motivo para estar tão desarrumada. Apesar da ausência obrigatória da bolsa, eu poderia ter vestido uma roupa mais arrumada, calçado um sapato bonito. Passado pelo menos um corretivo e rímel no rosto. Não fiz porque não sentia vontade de cuidar de mim mesma.
Descobri, há algum tempo, que ninguém consegue chegar à boa forma física sem auto-estima em alta. Para investir em nós mesmas, precisamos ter um motor que nos leve a desejar aprimorar alguma coisa de que gostamos.
Depois daquele dia, minha auto-estima ainda baixou mais. Acho que ficou abaixo de zero durante muito tempo. Diminuiu proporcionalmente à subida do peso. Chegou um dia em que eu não tinha mais roupa para vestir. Recusava-me a comprar roupas do tamanho em que estava, de modo que não havia o que colocar sobre minha obesa pessoa.
Mas a terapia começou a funcionar, e passei a me ver com bons olhos, mesmo acima do peso. A Cicinha não define quem eu sou, apenas me mostra quantos quilos há no meu corpo. Minha essência não está ali. Percebi que precisa cuidar de mim naquela hora, não dava para esperar emagrecer. Resolvi comprar uma calça jeans. Entrei na Fórum e falei para a vendedora:
– Vou entrar na cabine, e quero que você encontre alguma calça que caiba em mim.
Ela, com a maior boa vontade, trouxe um monte. Nada servia. Quando ela via que eu ia desanimar, repetia:
– Calma, a gente vai encontrar!
E encontramos. Mas eu jamais teria feito isso, caso não tivesse dado um passo no sentido de recuperar a auto-estima elevada. Não adianta tentar forçar uma ação física. Eu já tinha entrado em lojas muitas vezes, e não tinha coragem de pedir calça 46. Simplesmente saía sem experimentar nada. Toda ação física é, necessariamente, reação a impulsos internos. Hoje, sei o que se passa no íntimo de mulheres obesas que pretendem emagrecer para agradar o marido, os filhos, os pais, para ficar bem na foto. Creio que só conseguimos quando o primeiro objetivo é agradar a nós mesmas: EU SEI QUE NÃO SOU FEIA! VOU EMAGRECER PORQUE QUERO GOSTAR DO QUE VEJO NO ESPELHO. AS OUTRAS PESSOAS VÃO VER DEPOIS DE MIM. PRECISO AGRADAR A MIM MESMA.
E viva a alta auto-estima!!!!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s