PARA NOSSA ALEGRIA

Se você é das poucas pessoas que ainda não assistiu o vídeo imperdível, segue o link: http://www.youtube.com/watch?v=K02Cxo3fAC8.

Ontem, chorei de rir várias vezes por causa do Jefferson, da Suelen e da Mara. E muita gente comigo. No Facebook, era “Para nossa alegria” desde os gols do Vasco até o fato de hoje já ser quinta-feira.

Hoje de manhã, até o Luciano Hulk compartilhou o vídeo. Ao copiar o link, eu vi que já houve mais de cinco milhões de acessos. Isso mesmo. Cinco milhões, no link que eu peguei. E há vários outros, idênticos, uns editados, outros copiados. Eles estão fazendo muito sucesso.

Induzida pelo trio, divaguei, claro.

A primeira coisa que me chamou a atenção foi a música escolhida. O título é, na verdade, Galhos Secos, foi gravada pela banda Catedral em 1993. Não é melodia simples (praticamente irreconhecível na interpretação deles), e a letra também é elaborada. Engraçado que nunca foi um sucesso estrondoso e quase ninguém a canta hoje. Esses dois fatos não se encaixam com os três cantando com a voz de taquara rachada e morrendo de rir no meio da “apresentação”. Talvez por isso seja tão engraçado, pelo contraste entre uma música, digamos assim, bem elaborada e a total ausência de sofisticação do trio.

A família rindo, evidentemente se divertindo, com a música “de bom nível”, me fez lembrar de uma tarde em que nosso Coral foi cantar em uma igreja em uma favela. Muito arrumadinhos em nossos uniformes, com nosso bom teclado a tiracolo, destoávamos por completo do ambiente. Pessoas extremamente pobres, mal arrumadas, muitas estavam sujas. Cantamos, e, aí, o Coral deles também cantou, numa demonstração de afeto pela nossa presença, segundo falou o pastor (não fui eu que inventei a motivação). Creio que Jefferson, Mara e Suelen faziam parte do Coral deles. Todo mundo cantava daquele jeito. Imagina a cena: umas 30 pessoas, numa capelinha lotada, todas cantando como os dois no vídeo.

Sou dada a ataques de riso com muita facilidade, e a cena cômica me obrigou a sair um pouco, respirar fundo e voltar. Mas, quando voltei para a igreja, passei a olhar com outros olhos. Deus me deu um cutucão. Apesar da pobreza, a igreja estava toda arrumada. Havia uma toalha na mesa, um vaso com flores de plástico em cima. Num canto, os instrumentos velhos e desgastados pelo uso (com certeza eram de segunda, ou terceira, mão) disposto em ordem. E tudo limpo. Os membros do Coral, sentados juntos, demonstravam alegria pelo que haviam acabado de fazer. E eu ouvi aquela vozinha dentro de mim, que eu sei de onde vem:

– Para mim, a música de vocês é igual à deles. Eu olho para o coração.

Sim, temos que fazer o nosso melhor para Deus. Ele merece todo nosso esforço, e um pouco mais. No entanto, por mais talentosos, intelectuais, ricos, bonitos, chiques que sejamos, o olhar dele está no que nos move. Não sei o que moveu Jefferson e sua família a cantarem aquela música, mas sei que, caso o intuito tenha sido louvar a Deus, talvez, aos olhos Dele, os três cantem mais bonito do que Elvis Presley cantando Amazing Grace (caso Elvis tenha apenas interpretado uma partitura, sem colocar nela o coração).

Uma coisa é fato: eles tiveram mais de cinco milhões de acessos e eu estou sonhando em chegar aos mil aqui neste novo blog.

Quem é que está rindo agora? Mas é tudo PARA NOSSA ALEGRIA!!!!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s