1) ACHOU? AZAR O SEU

Minha comunidade de fé vive um ano especial: meio século de existência. Foi organizada em 31 de dezembro de 1961, mas, por algum motivo, sempre comemoramos o aniversário em maio (como se tivesse tido início em maio de 1962). Nossa família se uniu a ela em abril de 1962, de modo que… estou lá desde sempre. Mudei de residência várias vezes, mas nunca deixei minha “casa” espiritual.

Tanto tempo resulta em muitas histórias, claro. De todos os tipos: alegres, tristes, comoventes, engraçadas. Para homenagear minha família de fé, vou relatar 50 desses fatos. Um post para homenagear cada ano. Não vai ser em ordem cronológica, não tem qualquer ordenação lógica, a não ser a lembrança que me vier à mente a cada dia.

A primeira história brotou na minha memória por causa do aniversário do Tiago Tiveron. Lembro muito bem quando Emery chegou lá na IMAS, com dois garotinhos pequenos – Gabriel e Tiago. Pensa em dois meninos agitados. Não eram desobedientes, eram apenas… elétricos.

Nem me lembro quanto tempo o Luiz levou para se unir a nós também, mas logo a família estava completa em nosso meio, PARA NOSSA ALEGRIA!!!!

Havia um parquinho nos fundos da igreja. (Ainda tem? Faz um tempão que não vou lá…) No final da Escola Dominical as crianças corriam para lá, e ficavam até a gente ir buscar. Certo domingo, porém, Gabriel e Tiago sumiram. Emery e Luiz entravam em todas as salas, subiam e desciam a escada, e… nada deles.

Tenho pânico de criança desaparecida, e comecei a procurar também, sem nem falar nada com os pais. Acabei encontrando os dois no parquinho, falei que os pais estavam procurando por eles, que disseram que iriam embora um pouco depois. Enquanto ia para meu carro, passei por Emery e Luiz e falei:

– Achei o Gabriel e o Tiago!

Luiz devolveu de bate-pronto:

– Azar o seu. Agora fica com eles!