OI, DEIA!

Oi, Deia!

Hoje, no dia do seu aniversário, eu me faço uma pergunta: há quanto tempo nos conhecemos? Simplesmente não sei. Você chegou, com seu jeito único de espalhar amor, e conquistou toda uma família.

Nas horas alegres, lá está você, com alguma comida deliciosa. Nas horas tristes, olha lá você nos carregando no colo.

Não sei se conheço outra pessoa que goste tanto de amar quanto você. Suave, sem fazer aquela barulheira Moraes Ziller que você conhece tão bem, você chega de mansinho e toma o coração da gente.

Hoje, no seu aniversário, eu escolhi te escrever esta carta, porque tenho muito a dizer, não cabe em um post no Facebook. Por isso meus parabéns vão aqui pelo blog. Para eu poder escrever um pouquinho mais.

Eu não sei qual a minha primeira recordação com você. Não me lembro da primeira vez que nos encontramos. Parece que você sempre fez parte da minha vida, com esse sorriso meigo.

Há momentos que não esquecerei. Depois do almoço delicioso do aniversário da mamãe, que você fez com tanto esmero, ficamos sabendo que papai ia para o hospital. Você, com a mão queimada, ficou encostada à parede, enquanto nós nos abraçávamos e chorávamos. Assim que nos acalmamos um pouco, veio para perto de nós e começou seu trabalho de consolo, que ainda não parou… As latas de biscoito, os bolos, os doces, os agrados que deixava na casa da minha mãe naqueles dias tão duros, tudo isso está gravado para sempre em minha memória e em meu coração.

Veio o tempo de rir, apesar da saudade. Lá está você. Fazendo o almoço do casamento do meu filho, o jantar de aniversário do Sérgio. Sem alarde, sem tocar trombeta. Servindo, como Jesus servia: com amor! Usa seu maravilhoso dom da culinária para abençoar todos à sua volta.

Voltou o tempo de chorar.Aqui está você. Todos os dias, todas as horas.

Você é preciosa demais, Deia. Um senhor que eu amo muito (ele já faleceu, porém a morte não acaba com o amor e eu prefiro continuar a usar o verbo no presente) dizia: “Te amo tanto que nem sei quanto”. E hoje eu repito as palavras dele para você: “Deia, eu te amo tanto que nem sei quanto”!

Meu desejo, Deia, é que nunca uma lágrima escorra pelo seu rosto. Sei que isso é impossível, mas o desejo do meu coração é esse – que você nunca sofra! Se estivesse em meu poder, você jamais passaria por qualquer dor, por qualquer sofrimento.

Sou grata a Deus por ter colocado você na vida de nossa família. Continue assim, doce, meiga, espalhando amor por toda parte.

Muito obrigada por tudo.

Mil beijos.

Um comentário sobre “OI, DEIA!

  1. Claudia, voltou o tempo de chorar? Que as doces consolações do Espírito Santo lhe conceda a paz que você tanto precisa. E que o tempo de sorrir chegue bem depressa! Permite? Um abraço beeem carinhoso da Jane.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s