AH, SE EU PUDESSE…

Sorteei hoje um papelzinho com o tema do blog. Expliquei esse negócio de papelzinho no post QUE TRAGÉDIA!!!!!!. Não vou repetir tudo. Hoje, preciso responder a uma pergunta: se você pudesse mudar uma coisa em sua vida, o que seria?
Posso dar várias respostas. Eu seria magra. O Sérgio teria a vida mais destituída de stress deste planeta. Nossa casa não estaria penhorada. Papai não sofreria de artrose. E por aí vai…
Mas eu preciso escolher só uma opção, e não tenho a menor dúvida: eu não sofreria de depressão.
A depressão me deixa incapacitada. Qualquer atividade, a começar por me levantar da cama, exige um esforço tremendo. Sei que ninguém, a não ser outra pessoa que também sofre com essa doença horrível, entende o que eu passo.
Felizmente sou uma pessoa de temperamento alegre. Ontem mesmo, ao pedir para minha amiga Nucha orar por mim, ela falou que eu disfarço muito bem a depressão. É que todo mundo pensa que o oposto de depressão é alegria. Não é. O oposto de depressão é energia. A palavra virou sinônimo de tristeza, porque a melancolia é um dos sintomas. No entanto, o que mais me falta é vigor, é força para me mover.
Eu falo que seria tão bom se a depressão me fizesse mancar! Todo mundo corre para ajudar um manquinho, mas o deprimido é um estorvo. Sei disso, porque outros deprimidos provocam o mesmo efeito em mim!
Em sua misericórdia, Deus já efetuou um grande milagre de cura em mim, porque, num dia em que eu pedi especialmente a cura, ele retirou um mal-estar constante, que eu senti a vida toda, e que só soube que era parte da doença no dia em que fui curada.
Se eu pudesse, faria de mim mesma uma pessoa sempre pronta a agir, com energia para todas as coisas, disposta e me deitar (e dormir) à meia-noite e acordar às seis ou sete da manhã pronta para um dia de atividades. Não sou assim, infelizmente. Durmo às 3, com remédio, acordo às 10, e me arrasto durante o dia, muitas vezes sem forças para fazer nem o essencial.
Se eu pudesse, seria essa a mudança que faria. Não tenho esse poder. Espero em Deus a cura, caso Ele assim decida. Creio firmemente que Ele pode. Enquanto não acontece, vivo um dia de cada vez, fazendo meu melhor, que fica muito aquém do que eu gostaria.
Deus é muito bom para mim, e me fez alegre. Sou capaz de rir de mim, até da própria depressão. Vejo graça onde muita gente enxerga desgraça. Por isso consigo ter qualidade de vida.
Bem, não posso fazer a marrrrrrrrdita desaparecer num passe de mágica, mas posso tentar seguir com a vida normal. Então, vou publicar este post e vou ao cartório reconhecer firma em um documento para o Sérgio. Só pela graça de Deus!!!!!!!!!!!

É por isso que ninguém acredita. Eu estava no meio de uma crise horrível!!!!!!!!! Parece? O oposto de depressão NÃO é alegria.