GARÇOM E SUCO DE MORANGO

Nossa família tem duas duplas de gêmeas idênticas. Flávia e Daniela, morenas, de cabelo preto e olhos castanhos, filhas desta que digita e do Sérgio. Júlia e Isabela, filhas do Henrique e da Renata, são bem branquinhas, ruivas, de olhos mais claros. Nasceram quando Flá e Dani tinham 9 anos.
Fomos passar férias em Florianópolis. Um hotel delicioso, pertinho da praia. O almoço era self-service, à beira da piscina.
Um dia, Flá e Zi chegaram primeiro para almoçar. Chamaram o garçom e pediram dois sucos de morango. Ele foi buscar, elas foram se servir. Bem nessa hora, Dani chegou com Zu. O garçom trouxe os sucos e entregou para as duas, que, chegando mortas de sede da praia, beberam tudo. Foram se servir. As outras duas voltaram, começaram a almoçar e chamaram o garçom:
– Nós pedimos suco de morango e você não trouxe!
– Trouxe, sim, vocês tomaram e eu levei os copos embora.
Trouxe, não trouxe, para encurtar o papo elas pediram outros dois sucos. O garçom trouxe, elas tomaram. Acabaram de almoçar e foram embora. Dani e Zu chegaram. Chamaram o garçom, pediram dois sucos de morango.
– Vocês querem mais suco?!
– É. Dois sucos de morango.
Ele olhou meio de lado. Que meninas que gostam de suco! De toda forma, foi buscar.
Elas tomaram tudo e foram embora. Até hoje o coitado não se recuperou. Meninas tão novas, já desmemoriadas, viciadas em suco de morango…
Eu espero que ele tenha tido oportunidade de ver as quatro juntas e que tenha entendido o que aconteceu naquele dia. Se não viu, nunca saberá…

OI, AMIGA!!!!!

Apesar de um roxão e de doer, meu joelho vai reagindo bem!
Mas não é isso que me traz aqui hoje. Reencontrei uma amiga e estou radiante!
Nos tornamos amigas há algum tempo, mas conjunturas desta vida nos afastaram uma da outra: minhas medidas aumentaram e ela continuou do mesmo tamanho.
A coitada ficou escondida entre suas semelhantes, em meu armário. Esqueci-me dela por completo. Coitada, desprezo total.
Isso era o que ela pensava. Eu estava doida para poder dar umas voltas com ela. E foi hoje! Coube direitinho. De verdade, não fiquei espremida dentro dela, não.
Só quem já engordou rapidamente e ficou sem roupa que lhe coubesse sabe como é grande a alegria de voltar a caber em uma calça jeans sem stretch que repousou durante dois anos no guarda-roupa.
Eu nunca pensei que chegaria a engordar 25kg, de modo que fui deixando de lado minhas roupas que não serviam mais, certa de que logo voltariam a servir. Quando me dei conta do que tinha acontecido, peguei as prediletas e guardei longe dos olhos. Ficaram poucas nos cabides. O pior foi que chegou o dia em que NADA servia. Aí precisei comprar umas coisas enormes que, felizmente, já abandonei. Quando emagrecer mais uns 5kg, vou pegar as guardadas e fazer uma inspeção, para ver o que fica guardado, o que já pode voltar ao cabide e o que vai ser doado.
Bem, já digitei muito, estou sentindo um pouquinho de dor, então vou parar por aqui. Beijo, Bloguinho. Estou muito feliz, matando saudade da minha amiga.